Andanças
Flash
Turismo Jovem
Esportes Radicais
Entretanto
A Loba
Culinária Saudável
Ética para a paz
Fique por Dentro
A Eclética
Circulando Vip
Gente Jovem
Beleza Estética & Cia
Feng Shui
Humor sem Preconceito
Mundo Digital

Circulando VIP

por Marilda Serrano

 

LULU SANTOS COMEMORA SEUS 60 ANOS NA CERVEJARIA DO GORDO!

EM ÚNICA APRESENTAÇÃO NA REGIÃO:

DIA 18 DE MAIO

NA CERVEJARIA DO GORDO

A Cervejaria do Gordo Dance Bar tem o imenso prazer de apresentar o espetáculo chamado LULU SANTOS!

Vai ser no sábado dia 18 de maio. Um mega show de um dos maiores nomes da música brasileira!

Lulu Santos ao vivo com o Show “Toca Lulu” onde promete levar vocês a loucura com os maiores sucessos da carreira! Trata-se da única apresentação programada pela turnê no Vale do Paraíba.

Lulu Santos chega aos 60 anos de olho na reinvenção do pop

“Cantor e compositor lança seu 24ºdisco em meio a reflexões sobre a carreira, o sucesso e a própria vida

Lulu Santos procura Frank Ocean. Está em algum lugar do seu iPod, mas ele nem espera chegar aos arquivos de "Channel orange", a belíssima estreia do cantor americano de soul e integrante do grupo de hip-hop Odd Future, famoso também por ter revelado a sua homossexualidade perto do lançamento do disco, ano passado. De improviso, aquele que já se intitulou o último romântico começa a cantar trechos de "Thinkin bout you", que narra uma dramática e mal resolvida relação amorosa.

 

Lulu Santos: mais de quatro décadas de carreira no mercado pop.

"Há muito tempo que eu não decoro as letras de um disco inteiro, de sair cantando assim", diz ele. "E há muito tempo também que não escuto um disco tão bom, tão musical. Amo o Frank Ocean, sinceramente, amo. Ao mesmo tempo, tenho comprado também muitos discos antigos de blues, como Little Milton, Muddy Waters, esses caras. É um som pelo qual eu tenho uma grande paixão, quase um fetiche".

Lulu está na mesa de um restaurante na Gávea, tomando sopa, com as pernas cruzadas, permitindo ver o sapato Oxford, novinho em folha, com sola de borracha em tons goiaba, combinando com a meia, da mesma cor. O visual do cantor, compositor e instrumentista - que lança este mês um disco cantando Roberto e Erasmo Carlos - é completado por uma calça chino bege, um cinto de estampa de oncinha e uma blusa rosa. É assim, elegante e sincero, que ele chega, hoje, aos 60 anos.

"O universo pop pode ser muito cruel com a questão da imagem, e eu resolvi isso de forma bem simples, aparecendo na capa desse disco como um senhor com seus belos cabelos grisalhos". O disco se explica no título: "Lulu canta Roberto & Erasmo Carlos" (Sony Music). Com 13 músicas e duas vinhetas, ele cristaliza um projeto iniciado em 2011, que colocou Lulu, Maria Bethânia e Sandy interpretando músicas de seus ídolos, numa série de shows que correu várias cidades do país. Bethânia escolheu Chico Buarque, Sandy foi de Michael Jackson. Lulu optou pela dupla que influenciou decisivamente a sua escolha profissional, iniciada há mais de quatro décadas.

"Eu gosto de música por causa da Jovem Guarda e por causa da televisão. Eu descobri isso vendo os programas que eram exibidos pela antiga TV Rio", diz ele. "E Erasmo, por exemplo, faz parte dessa primeira geração de artistas brasileiros influenciados pelo blues e pelo rhythm and blues. ´Fama de mau´ é um exemplo disso".

"Lulu canta Roberto & Erasmo Carlos" é o 24º disco de Lulu. Ele sabe que este é o momento de avaliar os outros 23 que ficaram para trás. E garante não se incomodar com o fato de essa avaliação ser baseada nos hits que eles produziram ou não.

"Ser definido pelo sucesso faz com que você passe a ser irrelevante quando não está cumprindo o seu papel de hitmaker, mesmo quando não está se preocupando exclusivamente com isso. Mas acontece, sucesso vai e vem, é da trajetória de todos os artistas populares".

Lulu esquece de vez a sopa, já fria, e começa a cantar trechos de "Being boring", dos Pet Shop Boys, que aborda a nostalgia da juventude e os dilemas do envelhecimento. "A letra diz que chega um ponto da vida em que você se transforma naquilo que era para realmente ser. E eu acho que é isso mesmo".Carlos Albuquerque e Michele Miranda/ Agência Globo”